A hipertensão arterial e como prevenir

Mais prevenção, maior qualidade de vida

Em Portugal, 43% da população sofre de hipertensão arterial. A tensão alta, como é muitas vezes referida é, provavelmente, a causa principal da ida a consultas médicas e da prescrição de medicamentos. Associada a fatores de risco como diabetes ou obesidade, é a porta de entrada para algumas das principais causas de morte em Portugal, como o acidente vascular cerebral (AVC) ou enfarte do miocárdio.

Dos doentes com hipertensão, apenas metade sabe que sofre da doença . A boa notícia é que a maior parte dos fatores de risco são controláveis. Se, por um lado, a adoção de um estilo de vida saudável pode prevenir o aparecimento da doença, por outro a deteção e acompanhamento precoces da hipertensão ou dos seus sinais podem reduzir os riscos de vir a desenvolver outras patologias.

Hipertensão arterial: o que é?

A pressão arterial é a força com que o sangue circula pelo interior das artérias do corpo. A hipertensão arterial ocorre quando esta pressão se encontra elevada de forma crónica.

Vamos imaginar que as suas artérias são como mangueiras. Num indivíduo saudável, o sangue flui facilmente, sem encontrar obstáculos . Mas se nestas “mangueiras” o sangue está sobre pressão, o coração tem de se esforçar mais para fazer circular o sangue. Nestes casos, o esforço adicional faz com que a massa muscular do coração aumente, fazendo com que o coração se torne maior. Numa primeira fase, este aumento, também chamado de hipertrofia, não representa qualquer problema. Mas com o passar do tempo, pode conduzir a uma série de doenças cardiovasculares.

A pressão arterial tem duas medidas: a sistólica, ou “máxima”, e a diastólica, ou “mínima”. A primeira corresponde ao momento em que o coração contrai, enviando o sangue para todo o corpo. A segunda acontece quando o coração relaxa para voltar a encher de sangue .

Como saber se tem hipertensão arterial?

Considera-se que uma pessoa é hipertensa quando apresenta, em várias medições e em momentos diferentes, um dos valores de pressão arterial (máxima e mínima), ou ambos, iguais ou superiores a 140/90 mmHg. Mas atenção, estes valores devem ser determinados por um profissional treinado, utilizando um aparelho calibrado e validado.

Definições e classificação dos níveis de pressão arterial medidos no consultório  (mmHg)

Categoria Sistólica   Diastólica
Ótima <120 e <80
Normal 120 - 129 e/ou 80 - 84
Normal Alta 130 - 139 e/ou 85 - 89
Hipertensão Grau 1 140 - 159 e/ou 90 - 99
Hipertensão Grau 2 160 - 179 e/ou 100 - 109
Hipertensão Grau 3 >= 180 e/ou >= 110
Hispertensão Sistólica isolada >= 140 e < 90

A hipertensão arterial não provoca sintomas nos primeiros anos da doença. Em alguns casos pode manifestar-se através de sintomas comuns a muitas outras doenças. Por isso não é de espantar que a hipertensão arterial seja descoberta, na grande maioria das vezes, acidentalmente, numa consulta de rotina. Entre os sintomas incluem-se:

  • Dores de cabeça;
  • Tonturas;
  • Mal-estar;
  • Visão desfocada;
  • Dor no peito;
  • Falta de ar.

Causas e fatores de risco da hipertensão arterial

Em cerca de 90% dos casos não há uma causa conhecida, chamando-se assim hipertensão arterial primária. Mas há situações em que existe uma doença associada que é a verdadeira causa da hipertensão arterial. É a chamada hipertensão arterial secundária, que pode ter origem em condições como a apneia do sono, doença renal crónica, a síndrome de Cushing, o feocromocitoma, o hiperaldosteronismo primário, a coartação da aorta, a doença tiroideia e paratiroideia, a hipertensão renovascular, o uso de contracetivos orais e a gravidez .

São identificáveis vários fatores de risco que podem aumentar a probabilidade de desenvolver hipertensão arterial. Alguns, como a idade e a história familiar, não podem ser controlados. Mas os fatores relacionados com comportamentos ou estilos de vida pouco saudáveis, podem ser corrigidos, prevenindo assim o aparecimento da doença.

Sedentarismo


Exemplos
:

  • Obesidade
  • Consumo excessivo de álcool
  • Tabagismo
  • Alimentação pouco saudável e consumo excessivo de sal
  • Dislipidemia
  • Sedentarismo
  • Stress

 

O que deve fazer?

Controlar a hipertensão arterial é possível através de uma série de comportamentos preventivos:

  1. Medir a tensão arterial regularmente;

  2. Praticar atividade física;

  3. Comer de forma saudável e reduzir o consumo de sal;

  4. Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas;

  5. Deixar de fumar;

  6. Marcar uma consulta com o seu médico.

 

Relativamente ao último conselho, salientamos que a hipertensão arterial é detetável numa simples consulta de rotina ou “check up”. A rede médica do Plano ACP Saúde, com consultas e exames a preços reduzidos em mais de 18 mil prestadores, é essencial para saber quais as estratégias de prevenção e terapêuticas que melhor se adequam a si. Marque já a sua consulta através do seu Plano ACP Saúde.



O conteúdo deste artigo tem caráter informativo e não dispensa a consulta do seu médico.

Fontes
Sociedade Portuguesa de Hipertensão
Fundação Portuguesa de Cardiologia
Direção Geral de Saúde
scroll up